O verdadeiro “special one”

Arsene Wenger, Carlos Ancelotti, Jurgen Klopp, Jose Mourinho e Pep Guardiola fazem parte de um seleto e pequeno grupo de treinadores que além de talentosos e vencedores, são também referências.

Arsene Wenger é um manager na essência da palavra. Apesar das restrições econômicas que o clube enfrentou, oriundas da construção do Emirates Stadium, o francês que está a quase duas décadas no comando do Arsenal, conseguiu colocar o time de Londres definitivamente entre os grandes do futebol mundial. Arsene além de ser um técnico com faro apurado, principalmente quando se trata de usar os garotos da base e no garimpo de jogadores, é um excepcional “businessman”. Infelizmente, para os torcedores do Arsenal, o sucesso nas finanças não tem tido reflexo na sala de troféus do clube.

Carlos Ancelloti é um daqueles técnicos a moda antiga. O Italiano que já foi campeão Italiano, Espanhol e Inglês, é um grande conhecedor do futebol e um dos últimos “gentleman” do esporte. Conhecimento, experiência e um bom jogo de cintura, para controlar os egos que habitam os grandes do futebol, são as armas do super campeão Ancelotti.

Klopp não tem um carreira tão longa, nem tão vitoriosa como as dos demais citados acimas, mas sua paixão e entrega conseguem contaminar os seus jogadores, que não desistem nunca, independentemente da circunstância. Jose Mourinho é um verdadeiro estrategista, o português que se autodenomina “Special One”, consegue moldar seu time de acordo com o adversário. O pensamento e a obsessão por vitórias e títulos coloca o Português no topo dos técnicos mais competitivos e vencedores do esporte. O único e grande problema de Mourinho é o seu ego, e a mania de querer ser a única estrela do time.Pep é tido por muitos como o “cara”, e muitos chegam ao exagero de separar o futebol entre antes e depois de Guardiola. O Espanhol, que ganhou e encantou a todos dirigindo o imbatível Barcelona, conhece como ninguém como motivar e tirar o máximo dos seus jogadores. Agora,  Pep terá o maior desafio da sua carreira na próxima temporada. Guardiola irá comandar o Manchester City, e se o treinador conseguir colocar o lado azul de Manchester no mapa do futebol mundial, irá com certeza carimbar seu nome como um dos grandes do futebol.

Porém, o Special One do momento não está na lista acima. Mas, apesar de não ser e não fazer questão de ser badalo como os demais, Simeone é a combinação ideal dos citados. A Habilidade de comprar, vender e garimpar jogadores de Wenger, o jogo de cintura e o conhecimento de Ancelotti, a paixão e a entrega de Klopp, o jogo estratégico de Mourinho e a habilidade de tirar o melhor de cada jogador de Guardiola, são características do Argentino, e que são refletidas no Atlético de Madrid. É impossível não comparar o Simione jogador, lutador e guerreiro, com o Atlético disciplinado e aplicado do treinador Simione. Talvez o que falte para a sua consagração seja um título de expressão mundial, o que poderá ocorrer nessa temporada com a Liga dos Campeões, pois talento e capacidade para estar na lista acima ele tem de sobra.


Por: Tico Silvério

Twitter: @ticosilverio
Foi jogador das categorias de base do U.E.C, e de times amadores de Uberlândia.

Compartilhe: