O poder e a força de ser Mulher

A maioria de nós mulheres não sabemos  a força que temos, até que ser forte seja a nossa única opção.

Passamos grande parte da nossa vida buscando o reconhecimento fora de nós: nossos pais, nossa família, nosso companheiro, nossos amigos. Ou seja, colocar a nossa auto-estima e bem-estar em outros.

Muitas de nós têm se esforçado para atender a todos os mandatos dessa sociedade onde o homem ainda determina o modelo de como tem que ser, ter uma profissão, ser financeiramente independente, ser bem sucedida no que fazemos, etc. etc. E quando alcançamos estas metas, a gente se pergunta: Para que serve tudo isso?

Acredito que o mesmo poder que temos para gerar um homem, também o temos para mal direcioná-lo, de destruí-lo. Pois  é dentro de nós que um novo projeto de ser humano é formado, é de nós que ele vai receber todas as qualidades, sejam elas boas ou ruins. Com isso não quero  tirar a responsabilidade dos homens de colaborarem com a melhoria do mundo que queremos viver. 

O homem pode e deve contribuir para o bem-estar da mulher.

O que quero dizer é:  se continuamos educando nossos filhos que serão homens no futuro, com esta mesma  fórmula que temos agora, é provável que isso nunca mude. 

Temos seguido um modelo que nega o que realmente somos. Somente quando decidimos abraçar nossa verdadeira natureza novamente, recuperando o nosso valor como mulheres e curar a ferida do feminino, é quando será dado  o grande passo para tornarmos equilibradas, seres humanos completos integrados.

Às vezes escuto nas  sessões terapêuticas minhas clientes dizerem: “Como é difícil ser mulher!”

Mas plagiando  um dito popular: a quem muito é dado, muito é cobrado. 

E aí temos duas escolhas: rejeitar o nosso dom e sofrer ou aceitar a nossa condição humana e feminina e contribuir com o mundo, lapidando o nosso poder para que ele possa sempre estar aliado ao amor incondicional e protegido pelas mãos de Deus, a quem única e verdadeiramente este poder pertence.

Somos apenas instrumento!

As nossas ferramentas de trabalho nesta missão são: amorosidade, sensibilidade, paciência, fé, beleza, nutrição, carinho, afeto, cuidado e acolhimento. Nosso manual de instrução é o nosso coração e a nossa intuição aguçada, sempre fortalecidos pela oração e pela entrega sincera.

Devemos cada dia ao despertamos pela manhã e agradecer a Deus pela dádiva de ser mulher, e dizer: comprometo-me a lapidar-me constantemente e mesmo que eu caia no esquecimento, levanto-me e retorno ao cumprimento de minha missão, recordando-me do poder e da força de ser Mulher e de ser co-criadora com Deus. 


Por: Magda Lizbir Gomes
Terapeuta Holística, Practitioner PNL, terapias regressiva, Transpessoal, Bioneuro emoção, Interpretação de Sonhos
Tel. 07447608050

Compartilhe: