Nutrição comportamental: quando ser saudável não é saudável

Cada dia que passa a ciência da nutrição está mais ligada ao estudo do comportamento humano, que leva em consideração os sentimentos e motivos pelos quais é tão difícil manter uma alimentação equilibrada. Lidar com mudança de hábitos alimentares é um processo complexo que envolve comportamento, frustrações e pequenas vitórias.

A questão é: qual caminho você está traçando para chegar lá?  Você já se questionou sobre os métodos que você está utilizando? O método mais utilizado é a dieta restritiva ou qualquer ” estratégia” disfarçada de revolucionária ou inovadora.

Recebo em consultório uma gama de pacientes com diversos comportamentos muito clássicos dessa obsessão em “ser saudável”. Essas pessoas chegam com fraqueza, carbofóbicos (medo de consumir carboidratos), ansiedade extrema, perdem o sono de culpa, sofrem. Se privam de vida social, acham que devem levar marmita na festa de 5 anos do sobrinho para não “jacar”, se isolam e acham que alimentação é sofrimento e privação.

Esses pacientes mesmo quando conseguiram chegar ao seu “peso ideal” continuaram insatisfeitos. Provavelmente pois a insatisfação não tinha nada a ver com peso, nem com ser magro! Entenderam? A raiz desses problemas é muito mais profunda e normalmente não é curada com vida fitness nem alimentação saudável.

A observação desses sintomas e comportamento é algo que desenvolvi ao longo dos anos como nutricionista e SEMPRE que identifiquei, indiquei e encaminhei para psicoterapia.

O conselho que dou é: procure sempre ajuda para encontrar o equilíbrio entre sua saúde e o amor ao corpo que você tem, sem idealizações impossíveis.

Seja de VERDADE, você é LINDA (O)!


 

Por: Carolina Simon
Nutricionista
carolinasimon.co.uk
Tel. 07756 988 135

Compartilhe: