O sono e a fome

Observo nos atendimentos em consultório que as pessoas estão indo dormir cada vez mais tarde e pasmem, algumas pessoas dormem só 2 ou 3h por noite durante anos! Mas como isso afeta nosso apetite e rotina alimentar.

A resposta não está apenas em estudos científicos, mas também na prática clínica. Dentre as perguntas que faço em consulta uma delas é a respeito do sono e normalmente esse detalhe tão banal traz com ele outros relatos como:

Compulsão e fome noturna.

Sensação de cansaço e muita fome no dia seguinte.

Sensação de tristeza durante o dia e vontade desesperada de comer doces.

Além desses relatos vários estudos mostram que a redução do sono pode aumentar as chances de desenvolver diabetes e obesidade. Também se observa que a privação do sono afeta a saciedade e a percepção de sabor. Pessoas que dormem mal tendem a dar preferência por alimentos com maior teor de gordura e/ou carboidrato, tendo alterações no paladar que acentuam o sabor amargo e azedo, fazendo com que esses sabores sejam deixados de lado na hora da escolha dos alimentos ou seja: açúcar e gordura serão as escolhas mais óbvias.

Dicas para melhorar seu sono:

  • Evite consumo de carnes e frituras à noite;
  • Mantenha seu quarto mais escuro, silencioso sem exposição de telas de celulares;
  • Faça refeições leves à noite;
  • Uma xícara de chá sem cafeína pode ajudar;
  • Procure ajuda nutricional e médica para melhorar a qualidade do seu sono e da sua vida.

Por: CAROLINA C. SIMON
Nutricionista
www.carolinasimon.co.uk
Tel.: (+44) 07756 988 135

Compartilhe: