Projeto da FSF acolhe centenas de órfãos na República Democrática do Congo 

 Projeto da FSF acolhe centenas de órfãos na República Democrática do Congo 

A Fraternidade sem Fronteira (FSF) acolhe mais de 300 crianças entre 0 e 17 anos em três Centros de Acolhimento na República Democrática do Congo (RDC), na África. O Projeto Órfãos do Congo tem o objetivo de oferecer todo o suporte necessário às crianças órfãs em situação de extrema vulnerabilidade no país.
Segundo o coordenador do projeto na RPC, Maick Mutej, a maioria das crianças que chega aos orfanatos são vítimas dos conflitos da guerra do país que duram mais de duas décadas. “A maioria das crianças que estão nos Centros de Acolhimento são órfãs de pais que foram mortos na guerra ou foram abandonadas por causa do nível elevado de pobreza, uma vez que os pais não têm condições de prover o básico para a sobrevivência dos filhos. Em alguns casos, as crianças são abandonadas poucos dias após o nascimento”, afirmou.
O Projeto Órfãos do Congo possui três Centros de Acolhimento, um na cidade de Goma e dois na cidade de Bukavu. Os locais contam com quartos, banheiros, cozinhas e áreas externas para atividades recreativas e educacionais para os acolhidos. Além da moradia, as crianças recebem alimentação, educação, segurança e assistência médica.
“O nosso maior desafio são os altos custos na área da saúde, muitas crianças chegam desnutridas aos Centros e precisamos levá-las aos hospitais. E precisamos estar sempre investindo nas estruturas para receber essas crianças que chegam a nós”, explicou Mutej.
Os voluntários do projeto também resgatam crianças que estão nas zonas de guerra e as levam para os Centros de Acolhimento que estão em áreas afastadas do conflito. De acordo com Mutej, a guerra tem um impacto muito forte na vida das crianças. “Elas chegam até nós com sequelas físicas e psicológicas. Quando elas chegam no centro de acolhimento, longe da zona de guerra, elas têm traumas e sequelas que vivenciaram durante o conflito. Isso tem um impacto enorme na vida delas, e nós fazemos o possível para ajudá-las a superar os traumas”.
O alto nível de pobreza no país faz com que muitas das crianças não tenham a oportunidade de serem adotadas. “A situação econômica do país dificulta para que famílias adotem essas crianças. Na maioria dos casos, nós que trabalhamos nos Centros de Acolhimento nos tornamos a família para essas crianças e damos todo o suporte e amor para que elas possam progredir na vida”, disse.

 

Todos podem ajudar
Por meio do apadrinhamento, com uma doação de £15 por mês, é possível alimentar e oferecer auxílio escolar para uma criança durante trinta dias. Em Londres, todas as doações são enviadas para os projetos da FSF nos países da África, que incluem Moçambique e República Democrática do Congo. Faça parte desta corrente humanitária. Para saber mais informações, entre em contato com:

Informações

info@fraternitywithoutborders.co.uk

www.fraternidadewithoutborders.co.uk

IG: fraternitywithoutbordersuk

por Veridiana Jordão Jornalista voluntária Assessoria de Imprensa FWB-UKpress@fraternitywithoutborders.co.uk