O mês rosa de cada dia…

 O mês rosa de cada dia…
Neste mês especial que celebramos o mês do combate ao câncer de mama, eu gostaria de dedicar a algumas mulheres maravilhosas que passaram pela minha vida e que partiram com essa doença que mata milhares de mulheres todos os dias.
O mês rosa de cada dia é a lembrança que temos dessas mulheres que lutam todos os dias contra essa doença. Uma dor não somente física mas também psicológica que massacra não somente a pessoa que se encontra doente, mas também aqueles que dão o total suporte e acreditam que iremos vencer.
Helen Lack e Francisca Prada (mais conhecida como Táta) que lutaram até o último momento ou até literalmente até o último suspiro. Que deixaram, filhos, esposos, famílias, amigos… Porém, elas deixaram também um legado maravilhoso: Coragem, amor, dedicação, fé, esperança, profissionalismo, histórias, talento e muitas outras coisas que só quem teve o prazer de conhecê-las, consegue sentir a dor da perda… Elas foram mulheres incríveis, assim como muitas que  estão lutando contra essa doença e outras que tiveram a sorte de vencer!
Para você que está passando por esse momento difícil ou que conhece alguém nessa situação, não hesite em procurar ajuda, muitas vezes uma palavra de conforto ou um abraço pode curar, nem que seja apenas naquele momento!
Tente sempre fazer o teste em casa nos seus seios, e se achar que algo está errado vá ao médico, o câncer de mama é silencioso e pode matar, porém também pode ter cura.
Obrigada a essas duas mulheres que passaram por minha vida e me ensinaram que mais que uma doença, a cura vem da alma, que nem sempre precisamos partir daqui com sentimento de raiva ou contra o mundo, que cada um tem seu momento de partir, e mesmo sendo cedo demais aos nossos olhos podemos ser gratos pelos momentos maravilhosos que tivemos o tempo que estamos aqui. Elas foram felizes mesmo na dor, elas souberam aproveitar o pouco tempo que restava aqui para deixar alegria e amor, com elas aprendi que o melhor da vida ainda é amor e que daqui o que levamos e ele também que nunca finda. Que não somos eternos mais que nosso legado pode ser!
E como dizia Vinicius de Moraes no Soneto de Fidelidade…

De tudo, ao meu amor serei atento antes
E com tal zelo, e sempre, e tanto
Que mesmo em face do maior encanto
Dele se encante mais meu pensamento

Quero vivê-lo em cada vão momento
E em seu louvor hei de espalhar meu canto
E rir meu riso e derramar meu pranto
Ao seu pesar ou seu contentamento

E assim quando mais tarde me procure
Quem sabe a morte, angústia de quem vive
Quem sabe a solidão, fim de quem ama

Eu possa lhe dizer do amor (que tive):
Que não seja imortal, posto que é chama
Mas que seja infinito enquanto dure

Um beijo minhas queridas Helen e Táta, nos vemos em breve!

Com amor

por: Adriana bell