A minha agenda do mês é: saúde

É impressão minha ou apesar das situações de tensão extrema e a sensação de conflito que o mundo vive hoje, temos a contrapartida de que as pessoas estão se preocupando mais com o próximo e  voltando a ter valores mais básicos da existência humana?

Eu acredito que não seja coincidência e nem só uma experiência pessoal. Mas, com tanta tecnologia, inovação e velocidade muito acelerada, se realmente não colocarmos um freio em especial quanto a nossa saúde, não teremos capacidade física, emocional e psicológica de acompanhar as nossas próprias vidas. Temos que imaginar que o mundo e’ uma roda gigante em constante movimento e que temos a opção de estar na roda gigante parte do tempo, mas que também precisamos sair da roda gigante, nos reposicionar e ver a nossa vida de acordo com as nossas prioridades, valores e focar nos nossos objetivos. E dentro desse reposicionamento, gratidão e compaixão devem realmente fazer parte da nossa existência. 

Setembro amarelo: mês de prevenção ao suicídio. Outubro rosa: mês de apoio a luta contra o câncer de mama. Novembro azul: apoia a luta contra o câncer de próstata e doenças masculinas. Esses movimentos nos dão a oportunidade de refletir sobre um assunto importante de cada vez. E’ importante que existam essas campanhas isolando o assunto, pois é fácil passarmos o ano inteiro envolvidos com nosso próprio calendário. Essas campanhas  tiram o foco de todos os problemas nos fazendo pensar com carinho e atenção sobre o assunto de cada mês. 

O que você fez no outubro rosa? Você ajudou alguém? Você participou de algum evento em grupo? 

No dia 2 de outubro, o grupo mulheres do Brasil do núcleo Reino Unido, organizou uma palestra com duas sobreviventes do câncer de mama, que impactou muitas mulheres, as mesmas relataram que foram fazer o exame no dia seguinte da palestra, pois segundo o relato das palestrantes elas não tiveram sintomas de dor, e descobriram o câncer por acaso em outra circunstância inusitada. Prevenção e planejamento não são as palavras mais preferidas dos brasileiros. Tem uns que dizem até que: se você pensa em mal momentos você está os atraindo, e outros que isso da azar. Tenho uma estória engraçada sobre isso:  quando eu contratei meu seguro de vida, convidei meu marido para fazer o mesmo. Ele ficou muito incomodado de pensar na situação do que iria acontecer quando ele morresse e acabou por não fazer o seguro. Mesmo assim, prevenção e planejamento ainda são o melhor remédio em muitos casos. Vamos aproveitar que estamos no Reino Unido e vamos adotar essa característica tão britânica. Prevenir  e planejar. Marque uma consulta com seu GP ou clínico particular e veja quais são os exames pertinentes na sua faixa etária. Os exames e a frequência mudam de acordo com a sua idade. Ana Lívia uma das palestrantes, nos lembrou que a frequência do exame de mama não é muito alta e começa aos 42 anos, porém ela informou o médico que na família dela tinha caso de câncer, então ela pode agendar o exame sem nenhum problema. 

Fica aqui um desafio para você: Faça uma campanha pessoal ou efetue uma iniciativa em Novembro junto aos parentes, amigos, escola, trabalho ou cidade e nos conte até dia 18 de novembro para que eu possa divulgar na revista o próximo mês. 

Fique atento na agenda de eventos, em especial das organizações sem fins lucrativos como: Fraternidade sem fronteiras, Shekinah, Conselho de cidadania do Reino Unido, grupo de mulheres do Brasil que promovem palestras e eventos, sendo a maioria gratuito para melhorar a qualidade de vida e integrar os brasileiros no Reino Unido.  Falando ainda sobre saúde, o CCRU, conselho de cidadania está preparando uma feira de saúde para o começo de 2019.

Compartilhe: