A vida como ela é


Quando somos pequenos queremos ser adultos e quando adultos queremos voltar a ser crianças. Lei da vida, porém nada melhor que chegar na idade da loba aos quarenta e poucos anos… É muito interessante como nós temos a concepção de que aos 40 seremos mais velhas que as dificuldades serão maiores, mesmo sabendo que a frase clichê “idade da loba” é totalmente diferente.

A “idade da Loba” no entendimento popular, corresponde à idade da mulher ao chegar aos 40 anos de vida, quando, supostamente, atingiria a maturidade e se tornaria dona de seu nariz. No entanto, houve certa confusão com esse conceito.

De acordo com o professor Ari Riboldi, em sua mais recente publicação – O Bode Expiatório 2 -, “idade da loba” significa, na pratica, um novo modelo de ser mulher, um novo estilo de vida, um novo conceito de mundo, decorrente dos movimentos feministas e da libertação sexual, a partir da década de 60.

Até então, somente o homem exercia o papel de lobo, de “caçador”, ficando a mulher numa situação passiva, à espera da investida masculina. O homem era o lobo mau e a mulher, o chapeuzinho vermelho. Bom, eu posso dizer por experiência própria, que a idade da loba é realmente a melhor idade! E aonde tudo começa a ter mais sentido, a maturidade cai como uma luva e a sabedoria triplica.

Uma sensação maravilhosa ter ciência de que: sabemos, fazemos e criamos mais que uma criança, mais que um adolescente (porém ainda temos muito mais para aprender e ensinar).

A idade assusta, principalmente quando você vê suas fotos de anos atrás, as rugas começam aflorar no seu rosto que um dia só tinha espinhas ou aquela pele lisinha. O problema não é olhar essas rugas como elas são, mais sim o que podemos aprender com elas…

Marcas e experiências são para sempre, porém mais do que isso é saber como usar tudo isso ao seu favor. Vemos essas rugas como um pesadelo, e elas serão um pesadelo, se continuarmos pensando assim, mas quando vemos essas rugas como um detalhe, elas sempre serão um detalhe! Detalhe esse que faz parte da nossa evolução, parte da vida como ela é.

Assim precisamos ver tudo ao nosso redor, os mínimos detalhes sempre olhando para o que fazer e como lidar com sentimentos que muitas vezes não são tão agradáveis mais que fazem parte da vida como ela é… Nós mulheres temos tantas coisas favoráveis, mas que infelizmente muitas de nós mulheres não sabemos usá-las ao nosso favor.

A mulher em si é força, é alegria, é coragem e ficaria aqui escrevendo milhões de qualidades, porém muitas vezes olhamos para uma sociedade que nos cobra aquilo que não somos. Somos obrigadas a ser como eles querem? Somos obrigadas? NÃO, nós não somos obrigadas a nada que não seja ao nosso agrado e esse é o segredo de chegar a idade da loba com dignidade, com experiências com muito mais garra e dizendo para a vida “que seja eterna enquanto dure”.

Olhe para dentro de si, se descubra, tenha coragem, tenha atitude, se prepare para viver o melhor que a idade venha a te oferecer seja ela qual for, o tempo passa, as coisas passam, as pessoas se vão, tudo que é para sempre sempre acaba assim dizia Renato Russo com suas belas e inteligentes letras de músicas que marcaram uma história.

Faça da sua história uma história de sucesso, guarde o que você tem de melhor, ame tudo o que faz, faça tudo o que ama e seja feliz afinal se a vida é como ela tem que ser que seja uma vida feliz, saudável e com muito amor!

A coluna Papo de Mulher estará recheada de novidades, experiências e dicas, todos mês terá um assunto diferente, e para que isso aconteça nós precisamos das suas dicas, dos seus comentários e dúvidas. Participe conosco e juntas seremos melhores!

Por: ADRIANA DE PAULA
Organizadora do evento Papo de Mulher +Premio Mulher de Atitude
adridpaula@hotmail.com
Tel. 077 7178 2402

Compartilhe: