UE reforça exigência para Reino Unido pagar ‘divórcio’

O grupo de trabalho da União Europeia para as negociações sobre a saída do Reino Unido teve sua primeira reunião no dia 23.

O anúncio foi feito pelo negociador-chefe Michel Barnier, após a conclusão do Conselho de Assuntos Gerais dos 27 países que permanecerão no bloco, no qual foram confirmadas as diretrizes definidas por Bruxelas para as tratativas.

No documento chancelado na última segunda-feira (22), as 27 nações dizem que o Reino Unido deve arcar com os custos do “divórcio”, como aqueles relativos à realocação das agências europeias que têm sedes em solo britânico.

Segundo estimativas oficiosas da UE, o acordo financeiro do chamado “Brexit” deve variar entre 60 bilhões e 100 bilhões de euros. Esse montante incluirá a contribuição do Reino Unido para o orçamento europeu referente ao período 2014-2020, ainda que a separação aconteça antes disso.

“Nos próximos dias, finalizaremos as posições da negociação, que serão enviadas ao Reino Unido, e espero que isso faça as tratativas começarem concretamente logo depois das eleições”, explicou Barnier. Os britânicos irão às urnas para escolher um novo governo em 8 de junho, e o Partido Conservador, da primeira-ministra Theresa May, é favorito para a vitória.

O negociador-chefe da UE disse esperar que a primeira rodada de conversas aconteça na semana de 19 de junho. A partir daí, acredita-se que as tratativas durarão cerca de dois anos. (ANSA)

Compartilhe: