Tudo muda quando você muda

O fato é que a gente demora a reconhecer a necessidade de mudança, pois, num primeiro momento, tem tudo a ver com o orgulho e a necessidade de auto-afirmação perante a família, cônjuge, amigos, trabalho ou grupo religioso. As vezes, a mudança vem precedida de uma demissão, uma advertência,  uma rejeição por parte de algum grupo, termino de uma relação ou a morte de um ente querido, que não é simples de aceitar tampouco fácil de reverter.

Para  o nosso próprio bem, nem sempre as coisas acontecem exatamente como desejamos, pensamos e planejamos na vida. No meu caso, foram necessários muitos embates acalorados, ameaças, críticas, vários empregos perdidos, relacionamentos falidos, terapias, grupos de ajuda e livros e mais livros para provocar uma transformação de ordem pessoal na minha maneira de ver o mundo e administrar os meus próprios conflitos.

Ser flexível e mais aberto aos pontos de vista alheios não significa abrir mão dos valores e princípios consolidados ainda na infância. Não importa quanto tempo leva para descobrirmos o quanto somos ricos e ponderados, mas quanto tempo ainda nos resta para mudar de atitude, de postura e de ponto de vista a fim de nos tornamos mais humanos e dispostos a reconstruir uma carreira profissional, um relacionamento, uma amizade, uma vida.

Aquilo em que nós nos tornamos não depende de condições, mas de decisões. Algumas pessoas são condicionadas e determinadas por circustância externas. Elas vão para as alturas quando as coisas estão bem e desmoronam quando as coisas vão mal. Elas parecem deixar que suas vidas sejam determindas pelos astros estrelas, o destino, os ventos ou qualquer outra coisa fora delas. O que elas parecem não entender é que, quando nos vemos diante de condições difíceis, nos vemos também diante de uma decisão: ou nos prostramos diante delas ou fazemos frente a elas.

No fundo queremos todos sobreviver, crescer, provar a nós mesmos que somos capazes de dar a volta por cima e tirar de letra essa sucessão de privações e provações ao longo do caminho. E a vida não faz distinção de ambientes, mas cobra muito e exige que você cresça o tempo todo.

Existem  coisas essenciais e pessoas especiais que devem ser preservadas até o fim da vida. Um relacionamento saudável é uma delas e você não precisa abrir mão de convicções para mantê-los. Entretanto, existem acontecimentos banais que podem ser solucionados de maneira bem mais simples quando mente e coração se mantém abertos ao diálogo e ao respeito mútuo entre as partes. O que podemos aprender com tudo isso?

  1. Que a melhor maneira de ganhar uma discussão é evitá-la; pontos de vista pessoais interessam única e exclusivamente a você;
  2. Que os pontos de vista profissionais são objetos de negociação e análise conjunta, pois estão atrelados ao cumprimento de um objetivo maior que não depende exclusivamente de você;
  3. Que as pessoas em geral possuem muito mais coisas boas do que ruins, portanto, exercite o hábito de procurar o que elas realmente têm de bom em vez de procurar apenas defeitos;
  4. Encare cada situação de maneira positiva e as coisas tendem a fluir da forma como deve ser, não como você imagina que deve ser;
  5. Ainda que você não consiga mudar uma situação, mantenha uma boa atitude, seja íntegro, dê tempo ao tempo;
  6. Cargos, empregos, status e sucesso são transitórios em qualquer parte do mundo; cultive a consciência do momento presente e ela definirá a sua importância no momento futuro.

As coisas ficarão  muito mais fáceis e simples a partir do momento em que voce decide mudar  a maneira de pensar e agir. É óbvio que as mudanças não acontecem da noite para o dia, mas a decisão é que conta. O restante vem naturalmente. Segundo Hal Urban, autor de As Grandes Lições da Vida, “quanto mais completos e integrados nos tornamos, melhor nos sentimos em relação a nós mesmos e à vida em geral.

Por isso não deixe para depois, comece hoje a sua mudança, busquei ajuda de um coaching ou terapeuta se for o caso,  você pode e é capaz, faça seu plano e coloque-o em prática, aja a seu favor e com certeza você se sentirá mais leve e em paz consigo, aumentará sua auto estima e todos à sua volta perceberão a sua luz.

Por: Magda Lizbir Gomes
Facilitadora de grupos de mulheres que sofrem violência doméstica e dependência emocional.
Tel. 07447608050

Compartilhe: