O jugo está sendo tirado

Certa vez, Jesus ia caminhando quando viu um homem cego de nascença. Os seus discípulos lhe perguntaram “Mestre, quem pecou para que este homem nascesse cego? Ele, ou os seus pais”?

É interessante a capacidade que nós como seres humanos temos de tentar sempre estabelecer um julgamento com base simplesmente naquilo que vemos ou ouvimos. Perguntar a Jesus “quem pecou” é expressar a opinião de que a condição física e social daquele cego mendigo era, com toda certeza, em função de um erro cometido por seus pais ou até mesmo por ele, antes de nascer. Talvez os discípulos pudessem ter buscado fazer uma pergunta um pouco mais sensata e politicamente correta como “Senhor, porque este homem nasceu cego? Teria sido em função de algum erro cometido por seus pais”?

Apontarem-se dedos e estabelecerem-se jugos sociais pesados tem-se tornado algo cada vez mais comum nesta era marcada pelas redes sociais em que algumas pessoas são tão mais amigas quanto menos se conhecem. E uma simples frase é muitas vezes o suficiente para que novas amizades se iniciem ou antigos relacionamentos se acabem.

Um jugo é uma peça de madeira utilizada para prender os bois à carroça ou ao arado. Do ponto de vista social, pode ser também o estabelecimento de uma relação de autoridade, opressão e submissão como resultado do uso da força física ou moral. Na prática, há em nossos dias muitas pessoas carregando pesados jugos sociais e até familiares causados por opiniões infundadas, mas que no decorrer do tempo foram desconstruindo a autoestima e o valor próprio.

Ainda pior do que apontarmos nossos dedos para os outros é quando começamos a aponta-los para nós mesmos, nos julgando, sentenciando e oprimindo por coisas que nós verdadeiramente não somos: fracos, medrosos, incapazes e derrotados.

Mas Jesus disse: “Vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei. Tomai sobre vós o meu jugo, e aprendei de mim, que sou manso e humilde de coração, e encontrareis descanso para a vossa alma. Porque o meu jugo é suave, e o meu fardo é leve.”. (Mt 11:28-30 NVI)

Talvez, como aquele cego mendigo, você venha atravessando um longo período sob o jugo de acusação e de opressão e já não consiga mais enxergar uma solução ou uma saída para os seus problemas. Primeiro, pare de julgar, inclusive a você mesmo, crendo que em Jesus você é mais do que vencedor. Então faça uma oração a Jesus, dizendo “Senhor, eu quero alcançar neste ano a sua graça e o seu favor sobre a minha vida, a minha casa e a minha família. Tira de mim esse jugo pesado e eu vou prosseguir crendo que a sua Palavra é viva na minha vida HOJE”.

Se você precisar de ajuda, conte conosco. A CEIZS Londres está aqui para ajudar.

Por: Fabio Rodrigues

Compartilhe: