Brasileiros que vivem no Reino Unido tem carência de alguma vitamina?

Pouco tempo depois de você chegar à Inglaterra, você vai sentir saudades do nosso velho arroz com feijão, carne e uma saladinha, que diga-se de passagem, é uma das mais completas refeições em termos nutricionais.

Claro que aquela comidinha da mamãe está há 12.000 km de distância, mas nem por isso há necessidade de você enquanto permanecer aqui, viver de Fish & Chips, Kebab e Mc Donald’s. Isso porque além de serem pobres na quantidade de nutrientes essenciais, estes alimentos acabam tornando-se caros se você colocar na ponta do lápis.

Mas o que nos impede de termos refeições boas e equilibradas nutricionalmente? Respondo eu: NADA!

Os supermercados de Londres nos oferecem tudo o que precisamos e a preços bem interessantes. A questão é saber onde comprar e tempo para fazer.

O importante é termos em mente que a nossa refeição diária é a “gasolina que faz o nosso motor rodar direito”. Gasolina de baixa qualidade faz um tremendo estrago no motor e isso não demora muito tempo para acontecer. Conosco acontece exatamente igual. Portanto, coloque na cabeça, “eu preciso e mereço comer bem, pois sem isso em pouco tempo vou começar a ter problemas de saúde, não vou poder trabalhar e guardar aquele sagrado dinheirinho”.

Existem milhares de opções de compras: desde o Food & Wine da Harrods, onde você vai deixar o que tem e o que não tem; até o Lidl onde os preços são bem interessantes.

Lembre-se, uma boa refeição de 1.800 Kcal deve estar balanceada nas seguintes proporções:

  • Alimentos Reguladores: São aqueles de origem vegetal = 30 – 40g/dia. São as frutas e verduras em geral.
  • Alimentos Construtores: Proteínas = 10 – 20%/dia. Estas podem ser:
  1. Proteína Láctea = 10 – 20% do requerimento protéico. Leite e seus derivados.
  2. Proteína Vegetal = 20 – 30% do requerimento protéico. Soja, tofu e frutas secas.
  3. Proteína Animal = 70% do requerimento protéico. Carne, peixe, frango e ovos.
  • Alimentos Energéticos: são os lipídios = 20 – 30%/dia. Azeite, óleo de cozinha e manteiga basicamente.
  • Alimentos Energéticos: Carboidratos = 45 – 65%/dia. Arroz, feijão, lentilha, pão, macarrão e batata por exemplo.

Alem disso, é interessante que se saiba que o ideal é comer pouco e mais vezes ao dia, do que o jejum prolongado entre dois “jobs”.

Agora, sem desculpas. Você já sabe o básico para fazer seu organismo funcionar sem a necessidade de complexos vitamínicos. Mas caso você já tenha deixado para trás o “seu peso ideal” não adote medidas radicais, mas procure um especialista na área!


Por: Dr. Flavio Messina 

Médico Clínico Geral
www.messinaclinic.co.uk
Tel. 020 3053 6709

Compartilhe: