A Biologia da emoção e o câncer de próstata

 A próstata é um órgão glandular do sistema genitourinário masculino. Contém células que produzem parte do líquido seminal que protege e nutre o esperma contido no sêmen.
O significado biológico da próstata é precisamente proteger, uma vez que contém as células que produzem o líquido seminal, protege e nutre os espermatozóides, é o diretor da maquinaria que põe em funcionamento a fim de cumprir  a função de reprodução no homens.
Este órgão está relacionado com a primeira etapa da evolução humana, que se enquadra no estágio de sobrevivência, a reprodução é a função por excelência que permite que as espécies continuem através da progênie.
O conflito que reflete um problema na próstata está relacionado com o nosso cérebro arcaico, ao sentimento de potência e capacidade, auto valorização e com a convicção de que quando envelhecem, vão sendo menos homens. A impotência gera o medo, e às vezes está relacionado a despeito, incapacidade ou proibições.
É muito mais freqüente a partir dos 50 anos, onde afeta principalmente homens que foram muito ativos e têm desenvolvido uma relação de dominação na vida, embora não implique que não ocorra em homens mais jovens. Também está relacionado com a paternidade, isto é, com a imagem que temos, como filho e como pai.
Geralmente aparece na maioria dos casos no estágio em que o homem se torna avô, mostrando de forma inconsciente através do sintoma diferentes tipos de emoções, mas basicamente eles estão reduzidos ao medo, diante  de um conflito derivado de situações dramáticas com os filhos, netos, ou com o cônjuge.
Esta situação também pode estar relacionada à sexualidade, onde o homem se ressente de não ser suficientemente competente para uma mulher, ou a sexualidade é vivida “fora da norma” como quando um homem mais velho sai com uma mulher muito mais jovem ou pode ser claramente o medo de não ter ou perder netos, e a não continuação da espécie.

O ressentir é:

  • “Eu quero fazer amor, mas não posso”;
  • “Eu tenho que está a altura dessa mulher”;
  • “Já não tenho ereção”;
  • “Já não sou atrativo as mulheres”;
  • “Já não sinto prazer”, ” já não sou capaz de dar prazer”;
  • “Eu quero netos, quero  ter descendentes”. O que acontece com meus netos”?
A solução emocional é sempre detectar qual é a emoção oculta dentro de nós.
Simplesmente faça a pergunta… Para que o inconsciente precisa me mostrar esse sintoma?
O que eu estou pensando, o que me perturba desde o momento em que eu me levanto até eu ir dormir?
O câncer de próstata também pode se manifestar de forma simbólica como resultado de uma demissão ou após a aposentadoria, especialmente para aqueles que vivem a sua profissão com paixão e para quem o trabalho é a única coisa que dá sentido à sua vida. Os homens passam a considera-se inúteis, ineficazes e incapazes.

Qual é o conflito emocional que eu estou vivendo que afeta a minha próstata?

  • Perda na família (morte, sequestro, assassinato);
  • Sentimento de que “tenho que ser mais viril com minha mulher”;
  • Sentimento de culpa ou vergonha por viver uma sexualidade fora das normas sociais;
  • Proteção dos netos (medo a perdê-los);
  • Sexualidade não comum, proibida ou estranha para os outros;
  • Histórico de castração, real ou simbólica que impede de desfrutar a sexualidade.
Os problemas de próstata tem como finalidade ajudar a reestabelecer o contato com o teu próprio poder de criar tua vida. Deixe de acreditar que porque está envelhecendo, você é menos poderoso e menos capaz de criar, atrair, de dar ou sentir prazer. Aproveite sua vida e desfrute da sua sexualidade completamente.
Tome consciência e busque aceitar o que está passando em sua cabeça!

 

Por: Magda Lizbir Gomes

Terapeuta Holística, Practitioner PNL, especializada em terapias regressiva, Transpessoal, Bioneuroemoção, terapia de Interpretação de Sonhos, facilitadora de grupos MADA (mulheres que amam demais), Reiki Master, Reconnective Healing, Magnified Healing e Flores de Bach.
Coordena  grupos de mulheres que sofreram violência doméstica e dependência emocional. Terapeuta em Biografia Humana.

Compartilhe: